O PROJECTO

LOURENÇO AFONSO

FEVEREIRO 2016

VASCO FUTSCHER

DEZEMBRO 2015

PEDRO BARATEIRO

OUTUBRO / NOVEMBRO 2015

SÉRGIO CARRONHA

SETEMBRO 2015

FRANCISCO PINHEIRO

JULHO 2015

SUSANA GAUDÊNCIO

JUNHO 2015

LUÍS PAULO COSTA

ABRIL 2015

JORGE MARTINS

MARÇO 2015

JOAO FELINO

JANEIRO 2015

//

LUISA CUNHA

OUTUBRO  2013

 

FERNANDO J. RIBEIRO

NOVEMBRO  2013

 

CATARINA BOTELHO

DEZEMBRO  2013

 

MAFALDA SANTOS

JANEIRO  2014

 

MIGUEL PALMA

FEVEREIRO  2014

 

ARMANDA DUARTE

MARÇO  2014

 

ANDRÉ SOUSA

ABRIL  2014

 

RAQUEL MELGUE

MAIO  2014

 

ANTÓNIO FILIPE

JUNHO  2014

 

ANA PÉREZ-QUIROGA

JULHO  2014

 

TIAGO BAPTISTA

AGOSTO  2014

 

RICARDO JACINTO

SETEMBRO  2014

\\

A MONTRA é um projecto que surge na sequência da situação actual em que observamos uma crescente desocupação do espaço um pouco por cada bairro da nossa cidade. Por onde passamos verificamos o encerramento de mais uma loja, com papéis a taparem  os vidros das montras. Vende-se ou aluga-se. O país?

 

Num segmento da Calçada da Estrela, as lojas ali instaladas há várias décadas: a drogaria, o pronto-a-vestir, os electrodomésticos ou a mercearia com frutas cristalizadas, fecharam todas. A Farmácia e a Pastelaria resistem.  É  aí, entre estes dois espaços, que A MONTRA se encontra, o que não deixa de ser irónico, pois poderíamos pensar que é precisamente como o país sobrevive: entre o Pastel e a Pastilha.

 

A MONTRA com características muito particulares, actua como um dispositivo que privilegia a observação/ apresentação da obra, através de um vidro, por quem passa na rua, a qualquer hora do dia ou da noite.

O projecto pressupõe que o espaço físico onde a Montra se encontra, esteja sempre fechado, obrigando a um visionamento das obras, exclusivamente, feito a partir do seu exterior.

 

A MONTRA teve início em Outubro 2013 e trata-se de um projecto em que diferentes artistas são convidados a intervir na montra de uma loja devoluta, que encerrou por motivo de insolvência, em pleno centro de Lisboa, na Calçada da Estrela, a caminho do Palácio de S. Bento.

O desafio passa por produzir, todos os meses, uma obra específica para aquele lugar,  por cada um dos artistas convidados, tendo em conta a sua forma de acção e expressão distinta e complementar.

 

No seu decorrer, A MONTRA funcionará como uma acção subtil de intervenção na cidade. Um rumor urbano

Após um primeiro ciclo que correspondeu a UM ANO em que 12 artistas, entre eles Luisa Cunha, intervieram na Montra, inicia-se, agora, em janeiro de 2015, um segundo ciclo.

Direcção: Benedita Pestana  |  Texto: Maria do Mar Fazenda

 

 

Outros Apoios:

O ARMÁRIO

CONTACTOS

PT | EN

© A MONTRA 2013 - 2016